Resenhas

Resenha: Volúpia de Veludo – Loretta Chase

31, out, 2017 Laryssa

Título: Volúpia de Veludo

Série: As Modistas

Autora: Loretta Chase

Ano: 2017

Páginas: 320

Editora: Arqueiro

Sinopse: Simon Fairfax, o fatalmente charmoso marquês de Lisburne, acaba de retornar relutantemente a Londres para cumprir uma obrigação familiar. Ainda assim, ele arranja tempo para seduzir Leonie Noirot, sócia da Maison Noirot. Só que, para a modista, o refinado ateliê vem sempre em primeiro lugar, e ela está mais preocupada com a missão de transformar a deselegante prima do marquês em um lindo cisne do que com assuntos românticos. Simon, porém, está tão obcecado em conquistá-la que não é capaz de apreciar a inteligência da moça, que tem um talento incrível para inventar curvas – e lucros. Ela resolve então ensinar-lhe uma lição propondo uma aposta que vai mudar a atitude dele de uma vez por todas. Ou será que a maior mudança da temporada acabará acontecendo dentro de Leonie? Volúpia de veludo, terceiro livro da série As Modistas, é uma história de amor envolvente, com personagens femininas fortes e determinadas que transitam com perfeição entre o romantismo e a sensualidade.

Depois do casamento das irmãs, Leonie se vê sozinha para lidar com a Maison Noirot e uma das clientes mais difíceis que já encontraram! Quando um problema inesperado acontece, mais uma vez a loja está  a beira da falência, além disso Leonie precisa se preocupar com o marquês de Lisburne, que tomou para si o desafio de seduzi-la. Gostei da introdução irônica da “prima de simon” – não acho que anunciar a personagem seja um spoiler, mas por via das duvidas vou tratar ela assim. Mas no geral, a trama me pareceu muito fraca, repetindo mais do mesmo, e sem cativar realmente meu interesse, sendo até arrastada em alguns pontos.

Simon foi uma personagem extremamente decepcionante, todos os seus antecessores – que aparecem em alguns trechos, são extremamente mais espirituosos que o protagonista, e suas aparições ao todo não chegam a formar um capítulo…  Leonie realmente “sofre” um pouco mais que suas irmãs, além de seus dotes serem quase totalmente administrativos, ela se mostra bem mais sentimental e ingênua que suas irmãs, como deveria ser justamente por ser mais nova. Além de lidar com a administração da loja, e tratar da “prima de Simon”, um novo escândalo promete arruinar a loja e a Sociedade das Costureiras, e Leonie não pode contar com as irmãs para ajudar – nos outros livros, elas eram sempre uma equipe. Tudo isso também acaba sendo cansativo, e a leitura as vezes era mais angustiante do que divertida.

Capa, diagramação e escrita: Ok, parece que estou implicando – mas não é o caso, eu realmente gosto muito dessa série, só que esse livro deixou muito a desejar. Primeiro que nossa protagonista é ruiva, mesmo com muito esforço, posso dizer apenas que a modelo da capa tem o cabelo loiro acobreado, (sendo que Leonie é retratada como se seus cabelos “pegassem fogo”). Outra coisa importante é que a temática da série é a moda da época vitoriana, e em toda trama As Modistas enfatizaram como os tons são importantes para determinados tipos de pele, coloração dos cabelos e etc, tanto que obviamente Leonie não usou nenhum vestido vermelho durante a trama (uma ruiva de bochechas rosadas nunca ficaria bem com essa tonalidade, ainda mais em algo tão chamativo como veludo…). A escrita de Loretta continua fluente e instigante, e é o que faz com que a trama seja bem conduzida apesar de alguns momentos entediantes.

Concluindo: Foi o pior da série na minha opinião… meio descaracterizado, sem criatividade e até chato. Apesar disso ainda gosto da ambientação da trama no geral, e aguardo ansiosa o último livro da série, mas gostaria muito que ainda houvesse uma história sobre Errol.