resenha_valsa_maldita_03.04.17
Resenhas

#Resenha – Valsa Maldita – Tess Gerritsen

03, abr, 2017 Lígia Vacilotto

Livro: Valsa Maldita;

Autor: Tess Gerritsen;

Editora: Record;

Páginas: 238;

Ano: 2016;

Gênero: Thriller

Uma linda melodia poderia despertar o que há de mais sombrio no ser humano? Um thriller eletrizante da autora de O cirurgião e Jardim dos ossos. No ambiente frio e sombrio de um antiquário em Roma, a violinista americana Julia Ansdell depara com uma partitura intrigante — a valsa Incêndio — e é imediatamente atraída pela peculiar composição. Carregada de paixão, tormento e de uma beleza arrepiante — e aparentemente inédita aos olhos do mundo —, a valsa com seu tom menor fúnebre e seus arpejos febris parece ter vida própria. Determinada a dominar a obra complexa, Julia decide ser o instrumento que fará com que sua melodia seja ouvida. Já de volta à Boston, no instante em que o arco de Julia começa a ser deslocado pelas cordas do violino, desenhando no ar aquelas notas intensas, algo sinistro é despertado — e a vida de Julia fica sob ameaça iminente. A música parece exercer um efeito inexplicável e macabro sobre sua filha pequena, que se mostra drasticamente transformada. Convencida de que a melodia hipnótica de Incêndio está desencadeando uma maldição, Julia decide investigar a história por trás da partitura e encontrar a pessoa que a compôs. Suas buscas a levam à milenar cidade de Veneza, onde Julia descobre um segredo sinistro de várias décadas envolvendo uma família perigosamente poderosa que fará de tudo para impedir que ela revele a verdade ao mundo — custe o que custar.

Oi gente! pra começar, eu não ia fazer resenha desse livro, mas resolvi fazer, pois tanto a sinopse quanto o titulo e a capa chamam a atenção pra quem gosta de um bom thriller, de um suspense, do sobrenatura, etc. porém o livro não sei se deveria ser encaixado nesse tipo de gênero.

O livro é super bem escrito, aquela leitura envolvente que te prende e instiga à chegar logo ao final, sabe? O enredo da história é bem legal e bem desenvolvido traz muitas surpresas, mas….

Como diz na sinopse, é uma violinista que está na Itália e por um acaso se depara com a tal da Valsa Maldita, ou melhor dizendo a valsa Incendio, que é uma obra inédita, nunca ouvida, tocada ou gravada, apenas foi composta e ficou por muitos anos nesse antiquário até ser encontrada pela nossa protagonista Julia.

Ela volta para Boston e em casa treina essa valsa terrivelmente difícil, pra isso ela precisa se concentrar tanto que se desliga do mundo, enquanto sua filha pequena estava brincando com o gato de estimação da família. Ela só percebe que algo ruim aconteceu quando desafina uma nota da valsa e abre os olhos para o mundo a sua volta. Não vou falar o que acontece exatamente, mas já deu pra ter uma ideia.

Ela leva a filha ao médico achando que pode ter algo errado com a menina, mas o médico tranquiliza Julia, falando que foi uma fase e que a menina é completamente normal. OK. Julia, teimosa, resolve tocar novamente a tal valsa. De novo absorta na valsa só “desperta” quando sente uma dor aguda na perna e encontra sua filha com a mão suja de sangue apontando para a perna machucada dela falando “dodói mamãe”. Eu fiquei tipo, “oi? uma criança achou algo cortante para machucar outra pessoa ou a si mesma e a ela nem percebeu? meio estranho”

Resumindo, se não, conto o livro todo, a Julia vai atrás de respostas onde comprou a valsa e chega até Veneza, no fim a valsa foi escrita por um judeu na época do holocausto. Ai você pensa “pra se vingar do holocausto, o compositor da valsa colocou uma maldição que faz a pessoa mais próxima atacar a outra”. Ela fica andando em círculos com isso, fica indo pra outro país, fazendo a filha fazer mil exames, se depara com uma herança do holocausto, com uma história de amor no meio dessa loucura e ainda por cima tem até mafioso atrás dela, pra ela não descobrir onde a origem dessa valsa pode levar ela e revelar a verdade, que óbvio não vou falar pois já contei quase o livro todo.

Vou dizer apenas uma coisa, no fim nada é o que parece ser. 

E pra mim foi meio decepcionante, não pelo fim que a autora resolveu dar à história, mas por acabar do nada. Você chega na metade do livro e não tá nem perto da metade da história e a hora que a coisa ta pegando fogo, puff, epílogo, e eu fiquei #chatiada. A história merecia um desfecho com mais cuidado, igual ao começo, parece que o livro teve um belo começo, um meio super instigante e um fim repentino. Não é um livro ruim, longe disso, mas também não é um dos melhores livros.
Se você tem curiosidade pra saber o que tem a valsa Incendio pra ter virado a Valsa Maldita, leia, pois não será tempo perdido, mas o final pode não ser tão empolgante quanto o restante do livro. É bom, mas deixou a desejar.

É isso gente, beijos!