Resenhas

Resenha: Unidos Somos Um #OsLegadosDeLorien

23, jan, 2017 Wellington Rafael

Título: Unidos Somos Um
Autor: Pittacus Lore
Editora: Intrínseca
Ano: 2016

Sinopse:A guerra está chegando ao fim. Mas o planeta só pode ser salvo se todos se unirem para lutar. Último livro da série Os Legados de Lorien, Unidos somos um chega à sua conclusão repleto de surpresas e reviravoltas de tirar o fôlego. A guerra entre a Garde e os mogadorianos, que por tanto tempo ocorreu em segredo, tornou-se um conflito global. Agora, os humanos não só precisam lidar com a realidade de que alienígenas existem, mas também que terráqueos estão começando a manifestar poderes sobrenaturais. Além de adolescentes espalhados por todo o mundo que desenvolveram Legados, a Garde também vai poder contar com o reforço do Exército dos Estados Unidos, que conseguiu reunir uma equipe livre de agentes de infiltrados. No entanto, será necessário proteger esses novos recrutas sem treinamento, já que os mogs parecem interessados demais em usá-los para seus planos misteriosos. Só que John Smith não é mais o mesmo. Depois de perder as pessoas que mais amava nesse conflito, o Número Quatro não parece disposto a permitir que haja mais vítimas. E com um incrível poder recém-descoberto, John pode ser a arma mais forte contra os mogadorianos. Mas que sacrifícios serão necessários na batalha final? Será que John abrirá mão da própria vida para proteger os demais? Em um desfecho cheio de ação e decisões difíceis, o destino da Garde nunca mais será o mesmo.

MEU DEUS! Uma das minhas séries preferidas chegou ao final! “Os Legados de Lorien” entrou para a lista das melhores séries que já li na vida. “Unidos Somos Um” é o 7 e último livro da série e é adrenalina pura, o anterior chamado “O Destino da Número Dez” acabou com o coração de muitos leitores (principalmente o meu) e criou um final que me deixou puto por ter que esperar um ano para a continuação.

A RESENHA CONTÉM SPOILERS! SE VOCÊ NÃO LEU A SAGA INTEIRA, NÃO CONTINUE!

John Smith quer destruir Setrákus Ra e nada mais importa. Após a morte de Sarah Hart (que era uma das minhas personagens preferidas) todos ficaram de coração partidos, mas isso deu um novo foco ao grupo. John está muito mais vingativo nesse livro, ele quer vingança, sangue e acabar com essa guerra nem que isso lhe custe a própria vida.

Seis se sente culpada pela morte de Sarah e isso a destrói por dentro. Sam desenvolveu um novo legado que pode ser muito importante para vencer a guerra. Cinco está de volta e Nove e Marina precisam aprender a se controlar para não matar o traidor, porque ele tem um papel importante nessa guerra. Ella ainda está cheia do poder de Lorien desde que a entidade a entregou a ela, é algo que fará toda diferença contra Setrákus Rá, já que sua ligação com ele foi finalmente cortada. Adam é um aliado importante ao lado dos lorianos, ele conhece os costumes do seu povo, sabe falar sua língua, conhece suas naves de guerra e está desenvolvendo legados. Muitos humanos estão desenvolvendo legados, assim como Sam e são chamados para lutar nesta guerra. Mas será que estão preparados?

Os Mogadorianos estão cada vez mais fortes, seu adorado líder conseguiu muita energia lórica e esta usando esse poder para criar soldados mogadorianos com poderes extremamente perigosos.

“Implacável, Cinco ataca a massa estranha ligada ao ombro dela, mutilando-a até que os tentáculos conectados a mim se soltam e viram cinzas. Phiri grita de frustração, embora seu apêndice doentio continue a se regenerar. Toda vez que isso acontece, Cinco parece quase feliz em ter outras chance de dilacera-lo. Eu quase tinha esquecido como ele é sádico.”

QUE LIVRO FOI ESSE? Tenho muito amor por essa série e o final não poderia ter sido melhor escrito. Foram 7 livros intensos e incríveis, em alguns momentos dos livros anteriores a história se arrastou, mas o autor conseguiu construir algo tão sólido e deixar ganchos para o próximo volume que em nenhum deles a leitura se tornou maçante ou cansativa. A morte de Sarah no volume anterior me arrancou lágrimas por horas depois que terminei a leitura, assim como Oito ela era uma das minhas personagens preferidas e senti a morte deles na alma (sim, eu me apego demais aos personagens).

Em “Unidos Somos Um” o negocio ja é outro. Não tem mais tanto romance nem momentos tristes, é quebra pau, luta, guerra, sangue e vingança em cada página. John está INCRÍVEL, mais forte, decidido, adulto e com uma sede dentro dele que é visível durante a história. Ele arrisca a vida dele durante o livro todo, o que me irritou um pouco, por ele não pensar nos outros e nem na consequência que isso traia na guerra, mas tentando entender o lado vingativo dele, por Sarah, é aceitável. Eles partem para a guerra: Quatro, Cinco, Seis, Nove e Ella. Adam, Sam, Malcom e muitos outros aliados.  Cinco também. Eu fiquei com dó de Cinco, não achei que ele merecia esse final, tudo bem que ele matou Oito e isso já é motivo suficiente para eu odiá-lo, porém, acho que ele tentou se redimir em vários momentos da história e os outros não se importavam com isso. Foi merecido, mas poderia ter sido diferente.

O autor soube dar um final digno a série. Eu queria saber mais do que aconteceu depois da guerra, saber mais de como cada personagem ficou, sabe? Mas o autor não deixou a desejar, fechou tudo muito bem e eu até que aceitaria um spin-off de ele quisesse. O livro todo é repleto de humor e diálogos agradáveis, em nenhum momento o autor deixa isso cair, tornando a leitura muito prazerosa.

NOTA: Foi divulgado que o autor lançará uma trilogia chamada Generation One, que contará as histórias dos humanos que receberam legados e de como está o mundo após a guerra.

Uma série cheia de ação e emocionante. Já estou com muita saudade de todos, tudo de iniciou com “Eu Sou o Numero Quatro”, e termina agora com “Unidos Somos Um”. A guerra acabou.