Resenhas

#Resenha: O Tigre, de John Vaillant

27, nov, 2016 Wellington Rafael

Título: O Tigre
Autor: John Vaillant
Editora: Intrínseca

Sinopse: É dezembro de 1997, e um tigre devorador de gente espreita um vilarejo afastado no Extremo Oriente russo. A fera não apenas mata pessoas, ela as aniquila, devora por inteiro. Por isso um grupo de homens com cães de caça é enviado para persegui-la pela floresta densa e gélida. À medida que analisam os parcos restos mortais das vítimas do tigre, os rastreadores percebem algo impensável: os ataques não são aleatórios; fazem parte de uma vingança. Machucada, faminta e perigosíssima, a fera precisa ser detida antes que mais uma tragédia aconteça. Escrito com maestria e muito bem embasado, O tigre recria os eventos acima descritos ao mesmo tempo em que traça um impressionante panorama de uma paisagem inóspita e gelada e de seus habitantes, que, assolados pela pobreza do pós-perestroika, recorrem à caça ilegal para sobreviver, quebrando o equilíbrio natural que por milênios, antes da colonização europeia, do desflorestamento e da matança sistemática dos animais, permitiu que humanos e tigres coexistissem no mesmo território.

A história se passa na Rússia em 1997, onde um tigre siberiano vivia em liberdade, juntamente com o ser humano, vivendo no mesmo habitat, sem interferir um na vivência do outro. Mas um desses tigres começa a ficar violento a atacar os humanos. Uma equipe especializada é enviada para o local com o intuito de analisar e encontrar o animal que está ferindo as pessoas.

Um caçador foi morto e a dúvida do porquê um animal mudou tão de repente sendo que vivia em harmônica com os humanos é a questão. Ou será que o ser humano fez algo errado? Porque ele atacaria desse jeito?

Foi pesquisando sobre esse fato verídico que o autor John Vaillant escreveu essa narrativa. Entrevistando pessoas que viviam no local, situada na região Primorye. O mais interessante da história é conhecer mais sobre o tigre siberiano, com as pesquisas do autor evoluindo, é incrível saber sobre seus costume, sua capacidade de caçar, paciência para esperar as presas que chega a ser de 48h.

Não é uma ficção ou um daqueles livros que te deixa instigado e ler cada capitulo, é interessante para quem quer saber sobre o animal em si. Não existe uma construção de personagem ou uma história de começo, meio e fim totalmente. É mais uma pesquisa, contando a história dos ataques e suas vitimas.