missao-fenix-roberto-cruz-02.06.17
Resenhas

#Resenha – Missão Fênix – Roberto Cruz

02, jun, 2017 Lígia Vacilotto

Livro: Missão Fênix;

Autor: Roberto Cruz;

Editora: Novo Século;

Páginas: 376;

Ano: 2016;

Gênero: Romance policial;

Projeto: #EscritoresBrasileiros

Um acidente aéreo no Rio de Janeiro desencadeia uma série de acontecimentos no Brasil, fazendo Bernardo, um agente secreto, e sua equipe, descobrir um rastro terrorista na América do Sul. Em meio a lembranças traumáticas do passado – desde a morte dos pais no 11 de setembro, passando pela guerra ao terror, tanto no Afeganistão quanto no Iraque até culminar com a morte de Osama Bin Laden no Paquistão –, Bernardo tenta evitar que o pior venha a acontecer. Ele segue a trilha de duas facções terroristas, a Máfia Russa e uma célula ligada a Al-Qaeda, que uniram-se para encontrar tesouros nazistas escondidos e trazidos para a América do Sul com o fim da Segunda Guerra Mundial. A trilha, porém, desvenda muito mais do que um simples tesouro nazista: leva a linhagem de um dos homens mais perigosos da história mundial. Uma intrincada trilha de pistas distintas, que leva Bernardo a enfrentar seus piores inimigos na tentativa desesperada de salvar uma família de um destino cruel.

Oi gente, esse é o primeiro livro do novo projeto da TL #EscritoresBrasileiros, resolvemos lançar esse projeto pois achamos que os autores brasileiros não recebem muito apoio e, assim como os filmes brasileiros, temos um pré-conceito de que o estrangeiro é melhor, mas não é bem assim que a banda toca, não é mesmo? Temos muitas coisas boas por aqui, só precisamos procurar!

Então para incentivar e mostrar pra vocês que temos grandes autores, alguns ainda escondidos, vamos trazer mensalmente um autor brasileiro. E claro se vocês conhecem algum ou já tenham ouvido falar de um, deixe aqui nos comentários o nome do livro e/ou autor, que teremos imenso prazer em tentar ler o máximo que puder e mostrar esses talentos.

Missão Fênix conta a história de um ex-militar, que lutou no Afeganistão após o 11 de setembro, enfrentando terroristas que parecem saídos diretamente de seu passado.

Bernardo é um agente secreto da ONU que atua no Brasil monitorando possíveis atividades terroristas, quando um acidente aéreo, mascarado pelas autoridades brasileiras, levanta suspeitas e desperta o sexto sentido dele, descobre-se uma grande operação para recuperar coisas perdidas há décadas.

Mas o que terroristas da Al-Qaeda e mafiosos russos poderiam querer no Brasil? Heranças da Segunda Guerra Mundial! Pois é, o próprio autor diz, na nota do autor, …é uma obra de ficção….não há aqui nenhuma teoria da conspiração, apesar de algumas das mais difundidas na internet estarem presentes… traz fatos reais, como a Guerra, o 11 de setembro e a caçada à Bin Laden, mas tem algumas partes um pouco fantasiosas, mas trata-se de uma ficção então está permitido.

O legal é que você consegue discernir entre o que realmente aconteceu e o que é ficção e também o que é teoria da conspiração. O livro é muito bem desenvolvido e com uma linguagem bem clara. O autor é bem detalhista em vários aspectos, principalmente em relação às emoções dos personagens, você consegue sentir exatamente o que o personagem sente pela descrição com tantos detalhes, isso é bem legal.

Quem nunca leu um livro de autor brasileiro pode achar um pouco diferente o tipo de narrativa que eles usam, nós brasileiros somos o povo mais caloroso e amistoso, conforme dizem por ai, e isso é notado no tipo de escrita, por esses detalhes minimalistas. E o Roberto Cruz é um exemplo dessa literatura por trazer esse nosso aspecto tão explicito.

O livro é envolvente, a trama é misteriosa e intrigante pelas teorias da conspiração e por sugerir que a linhagem de Hitler, a raça pura ariana, ainda persiste. Se você gosta de romance policial deveria ler; se você gosta de teoria da conspiração deveria ler; se você se interessa pelos assuntos ligados ao terrorismo, extremismo e guerras mundiais, deveria ler; se você gosta de ler, deveria ler. É um livro que todos deveriam ler! Extremamente bom!

Só pra contextualizar um pouco, comprei esse livro na Bienal do Livro ano passado, 2016, e no stand da editora, lá tinham alguns autores promovendo seus livros e o Roberto Cruz foi super simpático comigo, viu que eu estava olhando alguns livros sobre romance policial e me contou um pouco sobre o que ele escreveu e me ofereceu. Como eu sou viciada nos assuntos relacionados às Guerras Mundiais, Guerra Fria, 11 de setembro, etc. ao ler a sinopse, na hora eu fiquei curiosa pelo livro e comprei. Ele até me ofereceu um autógrafo, mas acabei não pegando =(     #chatiada. E desde então lembro dele e de outros colegas escritores tentando chamar vender seu peixe, digo livro e fico imaginando quanto apoio eles recebem ou deixam de receber. Maaaas, em fim, ainda bem que comprei o livro, pois não deixou a desejar e foi uma leitura bem gostosa e rápida.