Resenhas

#Resenha: Deltora Quest – As Florestas do Silencio, Emily Rodda

09, maio, 2018 Laryssa

Título: As Florestas do Silencio
Autor: Emily Rodda
Ano: 2014 (nova edição)
Páginas: 104
Editora: Fundamento

Sinopse:  DELTORA É UMA TERRA DE MONSTROS E MAGIA… O maligno Senhor das sombras está tramando invadir Deltora e escravizar o seu povo. Há somente uma coisa que o impede: o mágico Cinturão de Deltora com suas sete pedras preciosas de fantástico e misterioso poder. Quando as pedras são roubadas e escondidas em locais sombrios e terríveis em todo o reino, o Senhor das Sombras triunfa e Deltora está perdida. Em segredo, com apenas um mapa desenhado à mão para guiá-los, dois estranhos companheiros saem numa perigosa busca. Determinados a encontrar as pedras perdidas e livrar seu país do tirano, eles lutam para atingir sua primeira meta – as sinistras Florestas do Silêncio.

 

Deltora é um lugar de paz e pobreza, os nobres vivem cercados pelos muros do castelo cheios de riqueza e conforto seguindo normas antigas e cômodas em detrimento do sofrimento do povo. Quando o rei e a rainha morrem de uma doença misteriosa, Endon o único e jovem herdeiro assume o trono. Jarred seu melhor amigo, percebe que este está sendo manipulado pelo Conselheiro Real e tenta avisá-lo mas acaba tendo que fugir do castelo as pressas, enquanto isso o Senhor das trevas está a espreita, planejando dominar o reino de Deltora, a única coisa que o impede é  o Cinturão de Deltora – cravejado de pedras preciosas, e junto de um herdeiro de coração puro, ele tem o poder de proteger o reino. Quando Deltrora Quest foi lançado no Brasil eu ainda cursava a “oitava série”, fiquei encantada com a capa e a premissa da trama, não me lembro exatamente por que, mas o tempo foi passando e eu nunca o comprei. Depois de tanto tempo eu já imaginava essa trama como muito infantil e me surpreendi muito durante a leitura.

Personagens: A saga de é dividida em duas partes, quando Endon e Jarred são muito jovens, enquanto estes já são adultos. Endon é inseguro, assustado e um tanto covarde, ao contrário de Jarred que desde o  começo se mostra esperto, corajoso e muito sagaz. Lief é a personificação de um paladino e aventureiro: leal, audacioso e talvez um pouco imaturo… também é muito esperto e corajoso. Jasmine é minha personagem preferida, talvez por que tenha algo mais a se explorar, os demais personagens não são difíceis de desvendar. Em Deltora Quest, pelo menos nesse primeiro volume não há muito desenvolvimento na personalidade dos personagens, eles não são profundos e seus objetivos e reações são simples e previsíveis – isso não me incomodou já que é plausível durante a trama que o cerne dela na verdade é a jornada que se há para cumprir.

Capa, Diagramação e Escrita: A capa é divina! Foi “recauchutada” e ficou ainda mais bonita. A diagramação foi muito caprichada e há diversos pequenos detalhes, não encontrei erros de edição ou ortografia e a escrita é polida e empolgante.

Concluindo: Eu gostei muito do livro, a temática aventureira muito parecida com Rpg’s medievais me encanta, nesse caso a “Quest” é a verdadeira protagonista, e é por isso que não incomoda a falta de profundidade das personagens, acima de tudo é um livro divertido, estou ansiosa por suas continuações.