destaques Resenhas

#Resenha: A Sutil arte de ligar o foda-se, de Mark Manson

12, abr, 2018 Wellington Rafael

Título: A Sutil arte de ligar o foda-se
Autor: Mark Manson
Editora: Intrínseca
Ano: 2018

Sinopse: Chega de tentar buscar um sucesso que só existe na sua cabeça. Chega de se torturar para pensar positivo enquanto sua vida vai ladeira abaixo. Chega de se sentir inferior por não ver o lado bom de estar no fundo do poço. Coaching, autoajuda, desenvolvimento pessoal, mentalização positiva – sem querer desprezar o valor de nada disso, a grande verdade é que às vezes nos sentimos quase sufocados diante da pressão infinita por parecermos otimistas o tempo todo. É um pecado social se deixar abater quando as coisas não vão bem. Ninguém pode fracassar simplesmente, sem aprender nada com isso. Não dá mais. É insuportável. E é aí que entra a revolucionária e sutil arte de ligar o foda-se. Mark Manson usa toda a sua sagacidade de escritor e seu olhar crítico para propor um novo caminho rumo a uma vida melhor, mais coerente com a realidade e consciente dos nossos limites. E ele faz isso da melhor maneira. Como um verdadeiro amigo, Mark se senta ao seu lado e diz, olhando nos seus olhos: você não é tão especial. Ele conta umas piadas aqui, dá uns exemplos inusitados ali, joga umas verdades na sua cara e pronto, você já se sente muito mais alerta e capaz de enfrentar esse mundo cão. Para os céticos e os descrentes, mas também para os amantes do gênero, enfim uma abordagem franca e inteligente que vai ajudar você a descobrir o que é realmente importante na sua vida, e f*da-se o resto. Livre-se agora da felicidade maquiada e superficial e abrace esta arte verdadeiramente transformadora.

Sabe quando você fica em dúvida se esse é o melhor livro que você já leu na sua vida? EU SEI!
Cara, ligue o foda-se. Não, não é palavrão ou grosseria. O Livro “A Sutil arte de ligar o foda-se”, de Mark Manson é o novo manual da vida no momento.

É simples: coisas dão errado, pessoas cometem erros, acidentes acontecem. Tudo isso deixa a gente na merda. E tudo bem. Sentir-se mal é um componente imprescindível da saúde emocional. Negar sentimentos ruins é perpetuar problemas em vez de solucioná-los.

 Manson nos leva a olhar a vida de uma outra forma, bem humorada e leve. Ele diz que está tudo bem em ligar o foda-se ás vezes, que nossa vida nem sempre é um mar de rosas, que vamos chegar muitas vezes ao fundo do poço e podemos demorar para sair de lá. Mas que tudo tem um lado positivo e cabe a nós identifica-lo. Não rotulo esse livro como “Auto-Ajuda”, não. Acredito que é bem longe disso. O autor leva você a analisar sua vida em uma visão de “vamos fazer doer menos”. Ele relata coisas do cotidiano que as vezes eu me perguntava: “COMO QUE ELE TÁ SABENDO DISSO?”

Muitas vezes, o auto aprimoramento e o sucesso andam de mãos dadas. Não significa que sejam a mesma coisa. A cultura em que vivemos hoje nutre obsessivamente expectativas pouco realistas. Ser mais feliz. Ser mais saudável. Ser o melhor, superior aos outros. Ser mais inteligente, mais rápido, mais rico, mais bonito, mais popular, mais produtivo, mais invejado e mais admirado.

 Tudo bem errar. Tudo bem falhar. O autor nos leva a entender que a perfeição nos traz infelicidade.

 Clichês desagradáveis como “confiar em si mesmo” e “seguir seu coração” estão por toda parte. Talvez o melhor seja confiar menos em si mesmo. Afinal, se nosso coração e nossa mente são tão falhos, precisamos questionar ainda mais nossas intenções e motivações. Se está todo mundo errado o tempo todo, não seriam o ceticismo e a rigorosa objeção a nossas crenças e suposições o único caminho lógico para o amadurecimento?

 

Chega de tentar buscar um sucesso que só existe na sua cabeça. Chega de se torturar para pensar positivo quando sua vida vai ladeira abaixo. Chega de se sentir inferior por não ver o lado bom de estar no fundo do poço.

 

E ligar o foda-se não quer dizer não se importar com nada. Ao contrário. Quer dizer se importar com o que realmente vale a pena e deixar de lado o resto. Não é um livro que te dá soluções de como resolver os problemas da vida, mas te mostra o caminho de como evitar sofrimento e como evitar carregar um peso que não precisamos carregar.

Não tem muito o que dizer sobre o livro porque cada capitulo é algo diferente e se eu for falar de casa um é spoiler na certa, porque o autor deixa tudo muito objetivo e claro. O que me resta é postar mais trechos para que instigue sua vontade de ler essa obras que, com certeza, já está na lista dos favoritos de 2018.

É simples: coisas dão errado, pessoas cometem erros, acidentes acontecem. Tudo isso deixa a gente na merda. E tudo bem. Sentir-se mal é um componente imprescindível da saúde emocional. Negar sentimentos ruins é perpetuar problemas em vez de solucioná-los.

Porque eis outra verdade secreta sobre a vida: não tem como ser importante e transformador para algumas pessoas sem ser uma piada e um constrangimento para outras.

 

Quer saber? Não se encontre. Nunca conheça quem você é. Porque é isso que faz você se empenhar e viver em estado de constante descoberta. Essa postura vai forçá-lo a ser humilde nos julgamentos e na aceitação das diferenças.