Resenhas

#Resenha – A Biblioteca Invisível – Genevieve Cogman

03, nov, 2016 Lígia Vacilotto

Livro: A Biblioteca Invisível;

Autora: Genevieve Cogman;

Editora: Morro Branco;

Páginas: 368

Ano: 2016

Gênero: Aventura/Romance.

Irene é uma espiã profissional da misteriosa Biblioteca, uma obscura organização que existe fora do tempo e espaço e que coleciona livros e manuscritos de diferentes realidades. E junto com seu enigmático assistente Kai, ela é enviada para uma Londres alternativa com a missão de recuperar um perigoso livro. Mas quando eles chegam, ele já foi roubado. As principais facções do submundo londrino estão prontas para lutar até a morte para achar este mesmo livro, e tudo é imensamente dificultado pelo fato de que o mundo está infestado pelo Caos – as leis da natureza foram distorcidas para permitir a existência de criaturas sobrenaturais e mágicas imprevisíveis. Enquanto seu novo assistente guarda seus próprios segredos, Irene logo se vê envolvida em uma aventura repleta de perigo, pistas e sociedades secretas, onde a natureza da própria realidade está em perigo e falhar não é uma opção.

A Biblioteca Invisível” traz um mundo de possibilidades, onde existem inimagináveis versões do mundo como o conhecemos.

Irene é uma personagem forte, mais uma que não se encaixa no padrão de donzela em perigo. Acredito que hoje em dia seja difícil encontrar essas moças em questão, sendo assim, ela é valente, corajosa e determinada. Com um enredo inesperado e um galã intrigante, que não é exatamente o que parece “A Biblioteca Invisível” te prende de um jeito que faz você pensar “uau!” para dizer o mínimo.

O que me chamou a atenção à principio foi a capa, sim a capa, com as letras e detalhes dourados é realmente muito bonita. O título também é intrigante, afinal como pode uma biblioteca ser invisível? Eu como uma amante do mistério e histórias de detetive quando vi a sinopse precisei comprar o livro, mas confesso nos primeiros dois capítulos a história não me prendeu, ele não começa como normalmente um livro começa introduzindo você ao personagem, já começa te lançando em uma aventura sem nenhum contexto, com perseguições, “magia” e a personagem fingindo ser uma faxineira.

Quando Irene escapa desse mundo, um dos muitos que você descobre que existem, começa a ser contextualizado, mas de um modo um pouco confuso, a informação é jogada praticamente toda de uma única vez e você é apresentado à incrível Biblioteca Invisível e sua “linguagem”.

Imagina um lugar além do tempo e espaço, um lugar eterno com todos os livros já publicados! Um paraíso para algumas pessoas (pra mim com toda a certeza seria O paraíso). A missão de um Bibliotecário é ir para esses universos paralelos e conseguir manuscritos únicos desses lugares. E é em uma Londres de um desses universos que acontece toda a história de Irene e seu assistente misterioso Kai. Você descobre que não só existem os agentes da Biblioteca, mas também outros seres que controlam esses universos e outras forças como o Caos, que é como um desequilíbrio da natureza fazendo com que seres que normalmente não existiriam existissem como lobisomens e vampiros, apesar de ter esses seres no livro eles não são o foco, são um “efeito colateral do Caos agindo naquele universo”.

Voltando à história principal do livro, assassinatos, máfia e roubos acontecem antes de Irene e Kai chegarem naquela Londres, eles precisam fazer amizade com o inimigo para conseguir informações sobre quem roubou antes deles o manuscrito e quem assassinou o então dono dele. Mas as coisas se complicam quando uma outra Bibliotecária, rival de Irene, se junta à busca para levar toda a gloria e é aí que a história te prende. Irene como uma boa protagonista não quer dar o braço a torcer para sua rival mas quando o faz acreditando no melhor da pessoa, seu tapete é puxado. Some a isso um ex-Bibliotecário que é uma lenda por ter abandonado A Biblioteca e se juntado às forças do Caos para tentar se tornar imortal que também quer o livro, pois tem algo nesse livro que ele precisa ter. O romance entre Irene e Kai fica subentendido durante quase todo o livro, talvez se houver um segundo volume de “A Biblioteca Invisível” quem sabe não possamos ver os dois juntos?

Uma história bem diferente de tudo o que já li, traz uma nova perspectiva de universos paralelos e colocam os bibliotecários como “super heróis”. Apesar do começo confuso é um livro muito bem escrito, com uma história boa e personagens diferentes do que estamos acostumados a ver. Quem gosta de mistério e histórias que fujam do comum este livro com certeza deveria entrar nas listas de próximo a ser lido.