Críticas destaques

Crítica | WiFi Ralph: Quebrando a Internet

04, jan, 2019 Eduardo Roberto

Filme: WiFi Ralph: Quebrando a Internet 

Original: Ralph Breaks the Internet  

Ano de lançamento: 2019 (no Brasil) 

Gênero: Animação 

 

Sinopse 

“WiFi Ralph” deixa para trás o fliperama Litwak, aventurando-se no desconhecido, expansivo e empolgante mundo da Internet – que pode ou não sobreviver a detonação causada por Ralph. Ralph, o vilão dos videogames e sua companheira desajustada Vanellope von Schweetz precisam arriscar tudo ao viajar para a world wide web em busca de uma peça sobressalente para salvar o videogame de Vanellope, Corrida Doce. Sem saber no que se meteram, Ralph e Vanellope dependem dos cidadãos da Internet – os internautas – para auxiliar em sua navegação, incluindo uma empresária de website chamada Yesss, que é o algoritmo principal e o coração e alma do site que dita tendências “BuzzzTube”. 

“O FILME QUE REALMENTE QUEBRA A INTERNET” 

(C/Possíveis SPOILERS) 

Ganhando em uma corrida contra seu antecessor, WiFi Ralph, nos leva para uma aventura através da internet seis anos depois do primeiro, onde mostra que até o grande vilão Ralph tem as suas inseguranças. Trazendo uma mensagem de peso para o filme, sobre o que é ter uma amizade saudável. 

Tentando ajudar sua melhor amiga Vanellope, após fracassar tentando ser herói novamente, Ralph atrás de uma solução para o problema a convida e juntos partem para a internet, algo considerado arriscado para aqueles do fliperama. Daí, vemos a dentro, como as coisas acontecem. Os pássaros do Twitter conversando. Como o nosso corretor funciona. Entre outros. (Sei que não é exatamente assim como as coisas acontecem, mas seria incrivelmente incrível se fosse). Através desses detalhes de como os sites famosos e aplicativos funcionam, nós telespectadores temos uma viagem boa, que nos conecta ao filme e a trama. Aliás, no atual momento tecnológico que vivemos e como as coisas se atualizam rapidamente, o celular tem sua presença garantida e tem seu espaço até com os protagonistas não tão modernos assim. 

Não para por aí, além de trazer esses elementos que estamos acostumados no cotidiano, Ralph e Vanellope entregam algo mais reflexivo. Uma mensagem sobre o que se é amizade. O que é ter uma saudável e não abusiva. Sobre como lidar com inseguranças. Resumindo, é algo muito a mais do que só uma animação. Nesse ponto, a Disney acerta mais uma vez com a mensagem abordada e que trouxe para o filme.  Não é a primeira vez que temos uma mensagem em uma animação do estúdio.

E quando você acha que termina, não. Realmente, Ralph veio para quebrar a internet. Com isso, temos mensagens de não ligar para os comentários que recebemos em uma publicação, por exemplo. Como um vídeo novo, em segundos já está velho. Como o conteúdo é repetitivo. Além de nos levar para o lado mais sombrio da internet, Deep Web, e mostrar que nem tudo que se tem online é bom, ou que nem todas as pessoas são boas. 

Yesss é uma personagem introduzida nesse filme e que tem seus bons minutos no holofote. Uma personagem carismática e encarregada de boas mensagens do filme. Já outra personagem de destaque no filme, é a Shank, uma corredora empoderada e de respeito no seu jogo. Nos apresentando como um jogo mais moderno funciona e suas atualizações constantes. A personagem até consegue servir como uma espécie de “tutora” para a Vanellope. (Do meu ver). 

Talvez, o momento mais aguardado seja o inesperado crossover das princesas. OH MY DISNEY. São duas breves passagens do filme, mas que conseguem ganhar os seus destaques e entregarem o que foi aguardado. Na torcida, para que em breve a Vanellope seja oficializada como uma princesa, junto as demais. AJUDA AI DISNEY. Ela se mostra digna do cargo e se encaixa nos requisitos para ser uma. É uma troca divertida de experiências entre elas, em um primeiro momento e com um segundo cheio de ação.

Durante sua passagem pelo site ainda, outros grandes nomes podem ser vistos, Baby Groot com uma cena ótima e divertida (Guardiões da Galáxia) , Baymax (Operação Big Hero), Nick (Zootopia), Stan Lee e entre outros.  OH MY DISNEY. 

Chegou o momento de você desligar o WIFI e correr para os cinemas. Uma continuação com personagens mais maduros, tem lá seus momentos engraçados (eu diria que até bem mais naturais e menos forçados que o primeiro), cheio de referências, mensagens e ainda conseguem entregar para essa geração mais moderna, a internet. DE FATO. Dentro do linguajar atual e do que se tá na boca das pessoas que usufruem dela.