Críticas

Crítica | Sierra Burgess é uma Loser

07, set, 2018 Kath Pereira

Título: Sierra Burgess é uma Loser
Título Original: Sierra Burgess is a Loser
Ano: 2018
Gênero: Romance adolescente

Um filme com: Shannon Purser, Noah Centineo, Kristine Froseth, RJ Cyler, entre outros.

Sinopse: Sierra (Shannon Purser) é uma adolescente inteligente, mas que não se encaixa exatamente nos padrões de beleza impostos no ensino médio. Quando um incidente de confusão de identidade resulta em um romance inexperado em sua vida, ela se vê precisando se juntar a garota mais popular da escola para poder ficar com o menino que gosta.

Para quem não se cansou do Noah ainda, ‘tâmo junto’! Para quem já se cansou ou nunca achou nada demais sorry!

Mais uma estreia certeira da Netflix esse ano no hall de romance-adolescente-clichê-de-high-school-americana!

Para falar a verdade, eu estava com saudade desse estilo de filme. Parece que de uns tempos para cá a indústria cinematográfica ficou saturada de agradar os adolescentes, que viviam mais com seus celulares do que realmente indo aos cinemas e o gênero ficou muito defasado.

Com o crescente da Netflix, se utilizando dos dados online e em tempo real do que mais atraía os espectadores, muitas coisas foram repensadas e fora os filmes de super-heróis e alguns mais voltados para o drama ou terror, os lançamentos da Netflix para “filmes de sessão da tarde” são os melhores.

Sierra Burgess é uma Loser trata de tuuuudo que mais gostamos de ver: as patricinhas, o bullying, relação parental, mudanças quando dois mundos colidem é amor jovem. Juntando a era da comunicação online, temos o nosso sucessinho.

Veronica é a abelha rainha do colégio e, vou contar pra vocês que, ela me irritou de um jeito que pelo amor…! Minha irmã (que viu o filme comigo) teve que me mandar calar a boca de tão nervosa que eu fiquei, falando alto com a TV e tudo! haha

Mas por que eu comecei a falar dela primeiro e não da protagonista do filme? Porque quem ainda não assistiu, por favor, peço atenção ao desenvolvimento da personagem ao longo do filme.

Nem todo desenvolvimento é para o bem… e esse é um caso de que a gente consegue entender o jeito da pessoa de acordo com o que vemos da criação dela ou de quem ela se relaciona.

Levem esse ensinamento pra vida (mesmo que quem sou eu para ensinar alguma coisa!): não julgue as pessoas. Nem pro bem e nem pro mal. Certos comportamentos só entendemos com alguma história ou análise aprofundada da vida dos outros. Empatia é a palavra, galera!

Agora Sierra… ela pode até ser uma perdedora aos olhos dos outros, mas eu consigo facilmente me vendo ser melhor amiga dela se estudássemos juntas. Significa que eu também sou uma perdedora? Talvez! hahaha

Inteligente como ela é, eu até que esperava mais dela quando ela se deixa levar pelo engano da confusão de identidade. Mas eu a entendo… Não é pecado querer viver ou aproveitar situações que você sempre quis, nunca teve a oportunidade e se apresentam para você sem querer.

Ela aguenta tanta coisa que não sei se alguém aguentaria numa situação normal que isso me deixou incomodada. Ela parece aceitar tão bem o seu papel de loser que na vida real não vejo como isso poderia ser saudável!

Ao mesmo tempo, é bom perceber que as coisas boas que ela faz, são coisas normais que todos deveriam fazer. Sierra é uma querida que se coloca no lugar das outras pessoas (literalmente haha) e ainda assim consegue ser ela mesma.

Vocês dariam uma chance para alguém como ela?

Jamey é o que toda garota sonha: atleta, inteligente, com aquele lado sensível que não pode demonstrar para os outros porque tem que fazer a linha durão. Mas vemos um cara corajoso, paciente e muito galã de filme antigo!

Eu acho incrível como esse papel vai tão bem para o Noah (Centineo – Peter Kavinsky de Para todos os Garotos que já Amei – leia nossa crítica clicando aqui).

E eu, com toda minha idade “avançada” (hahaha) estou apaixonada por um ator/personagem como nos meus tempos de adolescente jovenzinha!

A vida tem dessas, não é mesmo?!

Falando sobre a estética do filme, achei bem comum. Percebe-se que eles TENTAM dar o ar mais antiguinho, uma vibe anos 80/90 parando visual e pela escolha de cores e etc… mas realmente o mais bem sucedido nessa empreitada foi Para todos os Garotos.

Uma coisa que senti falta nesse filme, foi comédia. Ele é fofo, mas falta aquele alívio cômico que nos faz gargalhar mesmo sem querer. Considerá-lo comédia romântica nem dá!

No geral, é aquele filme para você que se sente deslocado, para você que é popular mas sabe que a sua vida é mais que isso, para quem não se cansou de Noah (eu, eu, eu!) e também aquele filme para dar um alívio em toda a correria da vida, todo o drama adolescente e adulto em que vivemos e mais um para mostrar o poder cinematográfico e de dominação mundial da Netflix.

Quem aí é um girassol? 🌻